terça-feira, 2 de dezembro de 2014

ALGUNS ESTRANHOS PASTORES PENTECOSTAIS AMERICANOS



"Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas."  JOÃO 10 : 12

Gostamos muito de "macaquear" os americanos. Tomamos coca-cola às toneladas, todos os dias. Toneladas de Mc Donald's as acompanham. Do mesmo jeito, toda a patifaria religiosa de lá, acaba tendo milhões de seguidores por aqui.

Crenças religiosas à parte, vemos que aqui, como na terra do tio Sam, que hoje, no século XXI, muitos seguem crenças sobre doenças, dignas da Idade Média. Creem que doenças são causadas por demônios e que o "Espírito Santo" ou "Jesus" ou "Deus" podem dar a cura. Tudo, ajudado por um obreiro, Pastor ou coisa parecida.

A crença em tais imbecilidades, já causou a ruína ou mesmo a morte de milhares de brasileiros. A imprensa covarde ou vendida a milionários do púlpito, não fala nada sobre este assunto. A História do pentecostalismo, é um impressionante amontoado de racismo, imoralidade, pedofilia, homossexualismo, mentiras, escândalos, falsos milagres tais, que nem uma grande enciclopédia poderia mostrar a maioria deles. Na verdade, o pentecostalismo teve por berço, uma região e época racista. Seu próprio fundador, o Pastor Charles Parham, era um racista declarado e destacado membro da Ku Klux Klan. Claro, além disto, ele era pedófilo e homossexual.

O título deste artigo é: "Alguns estranhos pastores pentecostais americanos". Evidentemente que aqui não há espaço para mostrar as estripulias, de alguns milhares de pastores pentecostais americanos. Eu apenas mostrarei resumidamente, a vida dos mais importantes pastores pentecostais americanos. Eu apenas mostrarei o principal da vida deles.

Pastor John Alexander Dowie [1847-1907]:

John Alexander Dowie (25 de maio de 1847– 9 de março de 1907) foi um pregador e utopista escoto-australiano.
Nascido na Escócia, imigrou em 1860 para a Austrália, onde ordenou-se ministro congregacionalista. Dowie deixou sua função pastoral para tornar-se pregador e curador itinerante em 1880. Re-imigrou uma vez mais, para os Estados Unidos e em 1896 fundou sua cidade, Zion, ao norte de Chicago e organizou sua igreja a Christian Catholic Apostolic Church [Igreja Católica Apostólica Cristã .
Por motivos de escândalos pessoais e má gestão financeira, sua utopia em Zion entrou em decadência a partir de 1903. Mesmo assim, a concepção de cura divina de Dowie influenciou o nascente pentecostalismo. Alguns missionários oriundos de Zion foram para a África do Sul e iniciaram o que hoje resultam no zionismo, movimento cristão africano.
Se o Pastor/racista/pedófilo/gay Charles Fox Parham é o pai do pentecostalismo, este cidadão é o avô de todas as igrejas  pentecostais.
Ele mantinha uma revista chamada "Leaves of Healing [Folhas de Cura]", que tinha distribuição e influência mundiais. Nesta publicação e por meio de discursos públicos, Dowie garantia que "Jesus garantia a cura". Dowie tinha um verdadeiro horror não só por médicos, como também por vendedores de remédios. Na verdade , ele dizia que Médico era um instrumento do demônio. Quando a sua própria filha foi queimada por uma lamparina, ele proibiu que ela tivesse passada vaselina em seu ferimento, para aliviar a dor. Na verdade, ele proibiu que sua filha tivesse qualquer alívio da queimadura dolorosa por um médico/instrumento do demônio. A menina teve por fim, uma dolorosa e terrível morte, sem que ele fizesse nada para aliviar seu sofrimento.
Enquanto desprezava os médicos, o Pastor Dowie mandava os doentes às suas "casas de cura pela fé". Cobrava pelas tais "curas", uma pequena fortuna. Ajuntou uma boa grana.
Ele proibiu a seus fiéis de consumirem carne de porco. As tais "casas de cura pela fé", lhe rendiam uma fortuna. Ele foi inclusive condenado em primeira instância por fraude. Esta condenação foi anulada e ele nunca foi preso.
No final da vida, o Pastor Dowie resolveu criar a "City of Zion [Cidade de Sião]". Supostamente com fins religiosos, na verdade era uma mera fachada para a sua vida ultra luxuosa e cara. Ele era também um homem que pregava as virtudes do evangelho e na mesma hora, ia "comer" suas dúzias de amantes, que incluíam também menores e dizem - homens.
Em 1901, este pastor se declarou "Elias, o Profeta". Pouco tempo depois este, "Elias, o Profeta", teve um derrame cerebral. Ficou totalmente inválido. O mesmo homem que jurava curar tudo, com poderes divinos, viveu seus últimos dias incapaz de sequer andar.
Qualquer semelhança com vários dos descritos acima e de casos atuais de pentecostais brasileiros, não é mera coincidência.
Quanto à "Zion City", faliu totalmente. No entanto, como nos mostra o "Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movement [Dicionário do Movimento Pentecostal e Carismático]"- O Dicionário do Movimento pentecostal e Carismático, quase todos os fundadores do pentecostalismo, eram ex-seguidores do já falecido Pastor Dowie. De fato, a publicação acima citada, diz que dúzias de pastores pentecostais, vieram da liquidada Zion City e eram fanáticos seguidores do “imoral” Pastor Dowie. De fato, três dos fundadores das Assemblies of God/Assembleias de Deus, eram ex-seguidores do finado Pastor Dowie.
Pastor Smith Wigglesworth [1859-1947]

Este Pastor, nasceu num lar protestante e depressa, foi trocando de igreja. Foi metodista, anglicano, etc. No ano de 1907, aderiu ao pentecostalismo, sendo "batizado no espírito santo".
Pregava contra a Medicina. Dizia publicamente, que tendo lenços abençoados, se teria a proteção de doenças, para si mesmo e para seus familiares. Vendia os tais lenços abençoados por uma fortuna, seguindo o caminho do também Pastor Charles F. Parham.
Se tais lenços abençoados, funcionavam em outros, é uma questão de fé, no Pastor Smith, foram um desastre. Seis depois do "batismo no espírito santo", a esposa deste Pastor morreu. Dois anos depois, seu filho também morreu. A sua filha, que era surda. ia sempre aos cultos de cura, promovidos pelo pai. Morreu completamente surda. O próprio Pastor Smith sofreu de pedras biliares, sendo curado pelos desprezíveis médicos.
Pastor Charles Fox Parham [1873 —1929] :

O Pastor Charles Fox Parham é tido merecidamente, como o fundador do pentecostalismo. Foi ele o fundador das "Assemblies of God", que aqui no Brasil, tomou o nome de "Assembleias de Deus". Atualmente e desde muitos anos, a maior denominação protestante aqui.
O Pastor Charles Fox Parham, dizia receber os dons do Espírito Santo. Falava "em línguas", pregava muito. Desde a adolescência, era Pastor. Na verdade, ele foi o primeiro Pastor pentecostal verdadeiro do mundo.
Religião à parte, Parham era racista declarado e militante. Odiava negros e tudo o que não fosse da suprema raça ariana [SERES HÍBRIDOS]. Pertencia à KKK (Ku Klux Klan), desde tenra idade. Em 1910, enquanto fundava o pentecostalismo, tinha lugar de destaque na Ku Klux Klan.
Este Pastor, foi preso após ter violentado sexualmente um garoto. Como era poderoso, na KKK, soltaram-no logo. Numa hora, bradava no púlpito contra a imoralidade. Noutra, praticava sodomia. Enquanto isto, milhões acreditavam em suas pregações.
O Pastor Parham acreditava e pregava, que a cura milagrosa de doenças era um direito natural dos seguidores da palavra de Deus. Infelizmente, para ele e muitos que o cercavam, a História mostraria outra coisa.
A edição 58, volume XVII, Nº 2, ano de 1998, da revista Christian History, mostra uma foto de 1906. Nela, aparece uma foto do Pastor Parham, com sete seguidores, todos estavam nas escadarias do fórum de Carthage, no Missouri. O próprio Pastor Parham, estava segurando uma placa, que dizia: "Apostolic Unity [Unidade Apostólica]". Os seus seguidores, seguravam faixas que tinha escrito: "Life [Vida ]", "HEALTH [SAÚDE]",etc. Ou seja: Publicamente Parham, mostrava a sua crença de que seguir "a Jesus", lhes daria saúde e proteção contra doenças.
O Pastor Parham, pregava publicamente que se deveria evitar se consultar com médicos e evitar crer em qualquer benefício da Medicina. Que todos deviam ao invés disto, crer que o poder de Deus/Jesus/ES os curaria. Bem , um dos filhos de Parham, pegou uma doença e morreu. Tinha apenas 16 anos. Outro filho de Parham, morreu também de doença com 37 anos.
Os doentes genuínos que iam aos cultos do Pastor Parham, nunca ficavam curados. Um ávido seguidor do Pastor Parham, tinha uma filha, com apenas 9 anos, chamada Nettie Smith. Esta menina, ficou doente. O pai, recusou tratar a doença da filha. Esperava a cura milagrosa. Ao invés disto, a criança morreu. Este fato, fez muitos se voltarem contra Parham, pois a doença era tratável com a limitada Medicina disponível em 1904. Quanto ao Pastor Parham, ele mesmo sofreu muitas doenças e não rara, estava doente demais para pregar ou viajar.
De dezembro de 1904 até fevereiro de 1905, ele esteve acamado e doente (ver o livro "Fields White Unto Harvest [Os campos brancos para a ceifa], página 94, autor: James Goff Jr.). O Pastor Parham, foi também o primeiro pregador pentecostal a orar sobre um lenço e vender lenços idênticos [qualquer semelhança não é mera coincidência], pelo correio. A um alto preço, evidentemente (Mesmo livro e autor citado acima, página 104).
Suas pregações/patifarias, não pararam aí. Em 1908, o Pastor Parham, passou a pregar que tinha como achar a "Arca da Aliança" bíblica NOTA: Todos que tem essa avidez pela ARCA DA ALIANÇA É MAÇOM, NÃO É DE ESTRANHAR JÁ QUE ELE ERA MEMBRO DA KU KLUX KLAN. Declarou a jornais, que para achar a arca perdida, tinha que ter dinheiro para ir até a Palestina. Em tempos pré-jato, uma viagem à Palestina, era muito cara.
Bem, os fiéis deram a quantia necessária para a viagem, tudo arrancado dos pobres salários. Parham nunca viajou até a Palestina. Ele simplesmente embolsou a grana para a viagem e inventou que havia sido roubado em Nova Iorque. Os fiéis acreditaram em mais esta farsa.
Os fiéis de Parham eram crentes mesmo. Um deles, achou que o "falar em línguas", lhe permitiria pregar o evangelho aos indianos. Viajou para Índia e lá notou que nada que falava, os indianos entendiam.
Parham, até o fim da vida, foi racista. Antes de morrer, exigiu que fosse enterrado, onde nenhum negro estivesse perto. Como se vê, o Pastor Parham deve ter sido muito inspirado pelo "espírito"... Que não é de Jesus.
"Irmã" Aimee Semple Mc Pherson [1890-1944]:

Foi a indiscutível fundadora da "International church of foursquare gospel [Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular]", que no Brasil, é chamada de "Igreja do Evangelho Quadrangular". O livro americano "The Dictionary Of Pentecostal and Charismatic Movements [O dicionário do Pentecostal e movimentos carismáticos]", a chama de "the most proeminent woman leader has produced to date". Em bom português, o livro a chama "a mais proeminente líder feminina, que o pentecostalismo produziu até hoje".
Se Aimee Semple Mc Pherson, foi uma proeminência, um fenômeno religioso, isto nem o mais ateu dos homens, pode discutir. Do nada, ela fundou uma Igreja, com milhões de seguidores.
A sua vida religiosa, começou quando ela acompanhou o seu marido, numa viagem missionária até a China. Neste país, o seu marido adoeceu. Morreu logo à seguir. A jovem viúva, retornou para os USA. Nenhuma pessoa imaginaria o que viria a seguir.

Logo depois de voltar, ela se casaria com Harold Stewart Mc Pherson, era 1911. Este segundo casamento, foi um fracasso do começo ao fim. Aimee Mc Pherson, era histérica, nervosa, negligente, preguiçosa. Além de tudo, traiu o seu infeliz marido. Nenhum de seus biógrafos sabe quantas dezenas de amantes, Aimee teve, enquanto o pobre Harold sofria. Ele finalmente, pediu divórcio em 1921 (Ver o livro de Eve Simson, The Faith Healer [O curandeiro], página 36).
Em maio de 1926, Aimeé Mc Pherson deu para sumir por uns tempos. No mês seguinte, ela reapareceu no México, inventando uma fábula, de que teria sido sequestrada. Na verdade toda a fábula era para evitar que percebessem que ela havia tido uma tórrida paixão, com muito sexo, com um homem casado, chamado Kenneth Ormiston. O casal, já havia sido visto antes, numa viagem conjunta à Europa (Sobre esta parte da vida de Aimeé, ver os livros "The Vanishing Evangelist [A Desaparecida Evangelista]”, do autor Lately Thomas). Uma recepcionista de uma loja, mostrou que Aimeé e seu amante, estavam na cidade de Karmel, Califórnia. Aimeé "tinha relações sexuais com" [Hélio usou este termo ao invés do de Dalton, impróprio para um site cristão]  o seu amante, ao tempo em que depois inventou à imprensa que estava sequestrada. Várias outras testemunhas mostraram terem visto, as aventuras de Aimeé. Enquanto isto, Aimeé ia tendo cada vez mais seguidores.

Um ano depois deste escândalo, Aimeé começou a enrolar os seus cabelos, a usar joias, peles caras, usar vestidos curtos. Igualmente, bebia muito e em público, dançava, aproveitava a vida. Anos antes ela pregava contra tudo isto, garantindo o fogo do inferno a quem tivesse tais pecados [qualquer semelhança com certos pastores de hoje não é mera coincidência]. Agora, praticava aos montes estes terríveis pecados (ver o livro "Least of all saints [Menos de todos os santos]". Autor: Robert Barh).
Em 1931, Aimeé casou pela terceira vez. Desta vez o imbecil marido, se chamava David Hutton. De novo, veio divórcio desta vez em 1934. Menos de três anos de infeliz união. Aimeé, casou já tendo um harém de homens. E virou ex- mulher de novo.

No livro, já citado, de Robert Barh, tem uma foto de Aimeé, com alguns de seus seguidores. Ela aparece caída de bêbada, no chão. Os seguidores, se acham "batizados no espírito santo" caindo no chão.
O livro "Sister Aimeé [Irmã Aimeé]", página 221, do autor Epstein, mostra as pregações religiosas, de Aimeé. Diante de grandes multidões, ela pregava: "As suas desgraças serão destruídas. As suas doenças serão todas curadas. Basta apenas vocês acreditarem. Onde estiver o espírito de Deus, ali estará a sua cura”.

Aimeé avisava que a cura era parte do evangelho. Bastava ter muita fé e dar dinheiro a sua Igreja. Para se ter acesso à sessões de cura espiritual de Aimeé, os crentes tinham que comprar um cartão e ali, ficar na linha de cura de Aimeé.

O livro "The Healing Question [A Questão de Cura]", do autor Arno Clemens Gaebelein, publicado em Nova Iorque em 1925, editora Our Hope Publications, página 93, mostra um caso triste, envolvendo Aimeé Mc Pherson. O autor descreve o que viu:
"Uma jovem garota, usava um óculos. Uma das lentes era totalmente preta. Eu percebi que a menina era totalmente cega de um olho e quase cega do outro. Eu observei tudo o que ocorreu, sentado, bem perto de todo o ocorrido. Enquanto orações eram feitas para ela, a jovem menina, que parecia ter em torno de 11 anos de idade, chorou e contorceu-se toda. Em sua vontade de se curar, ela fazia todos os esforços, para ser curada. Ela deixou o altar e houve um clamor público, iniciado por um dos obreiros presentes, de que ela teria sido curada. Ela gesticulou, dando a impressão, que tinha sido curada. Uma hora depois, quando o culto pentecostal acabara, eu vi um grupo de mulheres agrupadas. De longe, naquele grupo, percebi a presença da garota "curada". Mandei minha esposa ver o que era e falar com a garota "curada", caso fosse necessário. Ela achou a garota supostamente "curada", caída no chão, chorando copiosamente, com as esperanças destruídas e o coração partido. Sua decepção era completa. Assim como a sua desilusão. A melhora da visão, que havia supostamente tido, no altar, tinha sumido totalmente".*
*Nota do autor: A tradução acima, é minha. Traduzido, de autor já falecido. Direito autoral já público.
O autor Robert Barh, no livro "The Least of All Saints", diz muito bem dos últimos anos de vida de Aimeé. Aos poucos se viciava em drogas. Sua paixão por barbitúricos [sedativo, quando ingerido em excesso, afetam as funções do sistema cardiorrespiratório, podendo levar ao coma], se completava ao seu amor por homens na cama.
Amores à parte, ela tinha uma mãe. Ela se chamava Mildred (Minnie) Kennedy. A mãe ajudava a filha no milionário negócio evangélico. O "Angelus Temple" de Aimeé era uma supermina de ouro em dinheiro. De fato, dividiam mãe e filha o dinheiro arrecadado dos fiéis. Tanto dinheiro, que deu numa sucessão de brigas horríveis, entre mãe e filha. Já em 1927, Aimeé demitiu sua mãe do cargo que exercia na Igreja do Evangelho Quadrangular.  Depois, por um curto período de tempo, Mildred voltou a administrar coisas na Igreja, pois a filha havia feito uma série enorme de investimentos fracassados. Uma briga entre mãe e filha, teve como resultado Aimeé quebrar o nariz da mãe com um forte soco (Ver página 296, da obra de Robert Barh, já citada).
A ligação de mãe e filha terminava. O dinheiro e os escândalos de Aimeé não. Em 1937, Mildred, apoiada pela neta Roberta, decidiu processar a filha Aimeé. Não era a questão do nariz quebrado. O dinheiro era de novo o centro do processo. Aimeé ganhou a questão.
Se Aimeé ganhava cada vez mais dinheiro, com seu imenso e crescente império religioso, não ganhava paz de espírito. Cada vez mais, se entregava às drogas. Morreu de overdose de drogas em 1944. Deixou para a mãe a quantia de dez dólares, dizendo que caso ela contestasse isto, então não receberia nada (Ver a obra de Robert Barh, página 282).
Pastor Charles Price [1880-1947:

Este Pastor cedo desenvolveu fé no pentecostalismo. Ele foi inclusive, batizado "no espírito santo", por Aimeé Mc Pherson, já descrita acima. 

Em 1922, este Pastor começou "cruzadas de curas", por muitas partes do mundo. Atraía multidões imensas.

No ano de 1923, este pastor promoveu uma "cruzada de curas" em Vancouver, Canadá. Um grupo de médicos decidiu investigar. O Pastor Charles Price, apresentou um grupo de 350 pessoas, que se diziam "curados" por ele.

O artigo "Faith Healing and Healing Faith [Cura pela fé e cura pela fé]", de autor Richard Wolfe, publicado no Jornal da Indiana Medical Association, nº53, abril de 1959, mostra o poder de cura da fé:

Dos 350 que se diziam "curados", quando o estudo começou. Após seis meses:
*“301 Não haviam melhorado em nada.
*39 Haviam morrido.
*5 Haviam enlouquecido.
*5 Tinham doenças inexistentes.
*0 Havia sido de fato curado de doenças genuínas.
Pastor A. A. Allen [1911-1970]

Este Pastor pentecostal era um bêbado e um completo charlatão. Ele publicava uma revista chamada "miracle magazine” (revista do milagre). Esta publicação era cheia de imbecilidades e fraudes, como a de uma mulher, que teria perdido mais de 100 quilos em segundos, durante um dos cultos de cura, promovidos por este Pastor. Em 1956, ele começou a dizer que óleo miraculoso aparecia pingando de suas mãos e de sua cabeça. Ele usava o mesmo truque usado pelo brasileiro Thomas Green Morton, mais de 30 anos depois. Outro dos truques usados por este Pastor, era mostrar notas de US$ 1,00 virarem "miraculosamente" notas de US$ 20,00 [MÁGICA]. Qualquer mágico faria melhor, mas os fiéis acreditavam piamente.
Os fiéis, mandavam fortunas em dinheiro. Ele montou um milionário negócio religioso. Ganhava milhões de dólares, todos os anos. Mesmo assim, entregou-se totalmente à bebida. Foi preso por dirigir bêbado, em 1955, enquanto dirigia um "retiro" religioso.
No casamento, foi outro desastre completo. Batia na mulher, tinha amantes. Usava o dinheiro dos fiéis, para sustentar as ditas amantes. Um alcoólatra completo. Enquanto os seus liderados faziam uma "cruzada" religiosa pelo oeste da Virgínia, o Pastor Allen, foi para bem longe dali, mais exatamente para São Francisco, na Califórnia. Ali morreu sozinho num motel, aparentemente de complicações por alcoolismo.
Pastor Jack Coe [1918-1956]
O Pastor Jack Coe, tinha como é tradicional, uma série de pregações de que curaria os doentes pelo "poder de Deus". Ele pregava que "Consultar médicos equivalia a ter a marca da besta bíblica” (Ver o livro de Simson, "The Faith Healer", página 164.).

Uma vida inteira dedicada a falar mal da Medicina e dos médicos. A pregar que "Deus cura", "se você acreditar, será curado”, etc.
Bem, em fevereiro de 1956, Jack Coe estava em mais uma de suas "cruzadas de curas milagrosas”. Estava em Miami, Flórida. O Pastor Jack Coe impôs as mãos sobre um menino que estava doente de pólio. A mãe do garoto se chamava Ann Clark. O Pastor Coe, disse a ela: "Se você acredita que Jesus irá curar o seu filho, retire os ferros das pernas dele”. Ela imediatamente tirou as muletas do filho, que tentou dar um passo e caiu de imediato, direto no chão. Mesmo diante de tal demonstração cabal da farsa que eram os ensinamentos do Pastor Jack Coe, ela mesmo assim continuou acreditando nele.
Acreditando que devia seguir esperando a cura, por meio da fé em Deus, ela seguiu as ordens do Pastor Jack Coe. Ela não recolocou os ferros na perna do menino, que ia piorando. Vendo a piora do filho, ela foi a um Médico. O doutor mandou recolocar os ferros no filho.
Revoltada por tudo, ela finalmente percebeu ter sido enganada. Decidiu abrir um processo contra Coe, que garantia que o menino não se curara da pólio, por "não crer no poder de Jesus Cristo". O processo, teve larga cobertura da imprensa. O Pastor Jack Coe foi processado por praticar ilegalmente a Medicina. No final, Jack Coe foi absolvido.
Passaram-se alguns meses. Neste mesmo ano de 1956, o Pastor Jack Coe adoeceu. De que? Poliomielite é claro. O mesmo Pastor que garantia que consultar médicos era se condenar a ter "a marca da besta bíblica", agora estava internado num hospital. Cercado de médicos. Mesmo assim, a doença foi piorando. E o Pastor Jack Coe morreu desta doença aos 38 anos. Em poucos meses, a realidade da farsa que era este Pastor, foi mostrada a todos.
Pouco tempo depois da morte de Coe, a sua viúva, Juanita Coe, publicou um livro, desmascarando os milagres fajutos de Coe e seus colegas pastores "milagreiros". Infelizmente, a imbecilidade seguiu e Jack Coe, está cheio de sucessores.
Pastor Oral Roberts [1918-2009]
O Pastor Oral Roberts, pregou sempre que as doenças, eram criações do demônio. Sendo coisas de demônios, ele dizia que a sua mão direita "captava", os demônios que causavam as doenças. Ele dizia que quando o poder de Deus era enviado para ele, sentia como que um fogo líquido em suas mãos.
Em 1950, ele disse a seus seguidores, que o fim do mundo seria naquele ano mesmo. O fim do mundo não veio, mas Oral Roberts arranjou mais seguidores.

Ele mantinha uma revista de nome "Healing Waters [Cura pelas Águas]". Na edição de março de 1952, esta revista publicou que "mais de 20.000 grandes médicos congratulam o Pastor Oral Roberts". Desconfiados, dois Pastores presbiterianos, decidiram procurar a American Medical Association [Associação Médica Americana] (AMA), para ver se tal matéria era verdadeira. Tudo era uma mentira, inventada por Oral Roberts para se promover.

Nunca houve nenhuma cura, vinda deste Pastor pentecostal/charlatão. Na verdade, todas as "cruzadas de cura" deste Pastor tem sido um conjunto de farsas, misturadas a mortes e até coisas dignas de comédias pastelão. Alguns exemplos:

*Em 8 de setembro de 1950, em Amarillo Texas, Oral Roberts estava pregando suas "curas", numa tenda. Enquanto falava nas "curas", uma imensa ventania chegou. Tão forte que a tenda caiu. Um homem de 64 anos morreu, na queda de um pedaço de madeira na cabeça dele. Primeira "cura" famosa de Oral Roberts.
*Em 10 de setembro de 1950, na mesma cidade de Amarillo Texas, Oral Roberts mandou reerguer outra tenda, para mais "curas". Enquanto ele falava de novo em "curas", outra ventania veio. A lona caiu e desabou. Desta vez, nenhum dos crentes morreu, mas 50 foram para o hospital. Digno de comédia pastelão, não acham?
*Em 1951, numa cruzada de "curas", no Alabama, um homem de negócios foi à cruzada de Roberts. Morreu de ataque cardíaco. Foi à segunda "cura" famosa de Oral Roberts.
*Em 1955, Oral Roberts foi a outra cruzada de "curas". Desta vez foi em Calgary, província de Alberta, Canadá. Um dos crentes, chamado Jonas Rider morreu.
*Em 1956, o Pastor Oral Roberts, decidiu alugar um espaço na televisão. Era o começo da era dos televangelistas, que dura até hoje. Uma crente, chamada Mary Vondersher, apareceu no programa de Oral Roberts, para dar o testemunho de uma "miraculosa cura", obtida por intermédio deste Pastor. Vinte horas depois desta "miraculosa cura", ela morreu.
*O ano de 1959, teve um número recorde de "curas", nas cruzadas de Oral Roberts. Uma crente de 64 anos, morreu em janeiro, em Oakland, Califórnia. Em maio daquele ano, em uma nova cruzada, as "curas" vieram em dose dupla. Morreram uma criança de três anos e uma velha índia de 64 anos, que morreu num acidente de estrada.

Para completar, em julho de 1959, uma crente morreu, após ter declarado ter sido "curada" por Roberts, na última cruzada de cura daquele ano.
Após tantas cruzadas de "curas", Oral Roberts, milionário, decidiu abrir uma universidade. Era para obter a cura do câncer. Nada foi obtido, mas dezenas de milhões de dólares foram gastos. Tio Sam e os fiéis são muito bestas. Morreu aos 91 anos, vítima de complicações de uma pneumonia.
Pastor Jamie Buckingham [1933-1992]

Parecido com todo o resto, Jamie, tinha uma igreja com mais de 2.000 adeptos. A sua principal fonte de renda, foram seus livros, mais de 40 livros. Mais de 20 milhões de exemplares destes livros, foram vendidos. Eles garantiram uma fortuna a este Pastor.
Em 1990, foi diagnosticado câncer neste Pastor. Tanto a sua esposa, como o Pastor Oral Roberts (descrito já acima), "profetizaram" que ele seria curado desta doença. Em julho de 1990, este Pastor disse publicamente que Deus em pessoa, apareceu enquanto ele tomava banho. Deus lhe garantiu, que ele viveria mais de 100 anos, em boa saúde. Em julho de 1990, ele fez uma cirurgia. O médico lhe garantiu que o câncer havia sido removido. E que o prognóstico era bom.
Em outubro de 1990, a revista americana “Charisma", publicou um artigo deste Pastor, intitulado "Healed!". [Curado!], numa tradução óbvia. Em abril de 1991, a mesma revista, apareceu com outro artigo deste mesmo Pastor. Desta vez intitulado "My Summer of Miracles". Traduzindo: Meu verão de milagres.
Todas estas "profecias" e "testemunhos", absolutamente foram desmentidos pelo fato. Em 17 de fevereiro de 1992, o Pastor Jamie Buckingham morreu de câncer. Deve ter sido mais uma "cura" de Oral Roberts. Ou terá sido obra de um Deus que gosta de falar com um Pastor, enquanto este está “nu”?
Pastor John Wimber (1934-1997)
Como todos os outros pastores pentecostais, citados acima, ele pregava as virtudes da "cura pela fé". Garantia ser um canal com Deus para a cura dos homens, etc.

Uma demonstração dos poderes de cura deste Pastor pentecostal ou charlatão, como o queiram, foi que ele tentou "curar" duzentas crianças sofrendo de síndrome de Down. Nenhuma se curou até hoje (Ver o artigo "John Wimber Changes His Mind! [John Wimber muda de ideia!]", publicado na revista "The Protestant Review [A Revisão Protestante]”, nº de julho de 1990. O autor é Phillip D. Jensen). Ele morreu de uma hemorragia cerebral , em 17 de novembro de 1997, com idades entre 63, na sequência de uma queda e recente cirurgia de ponte de safena. 
Pastor Gary North 


Este Pastor está sempre num programa de rádio americano. Tem milhões de ouvintes e sempre está com milhões de atentos às suas rádio pregações. Afirma que é "um profeta enviado de Deus". 

Alguma destas "profecias":

*Irá acontecer uma guerra nuclear global, ao longo dos anos 1980... Falsa profecia
*A União Soviética irá invadir o mundo ocidental e dominar os Estados Unidos... Falsa profecia
*A economia mundial irá entrar em colapso até 1990... Falsa profecia. Entrou em colapso em 2009, 19 anos depois.
*Em 1º de janeiro de 2.000, todas as redes de computadores no mundo entrarão em colapso total... Falsa profecia.
Tudo um fracasso...
Ah, este "profeta enviado por Deus", diz que não se deve jogar. Ainda bem que tem algum conselho bom, pois ele não acerta uma...
Pastor Jimmy Bakker, atende pelo nome de Jim Bakker:



O Pastor Jim Bakker, pelo que eu sei, está vivo e bem de saúde. Ele já foi solto da cadeia. Sua Ex-mulher, Tammy Bakker, igualmente, enquanto escrevo estas letras, está bem de saúde.

Este Pastor, desde o início, começou a fazer-se muito rico, no ramo do televangelismo. Suas "pregações do evangelho", levaram o seu PTL (Pray The Lord), a ter mais de 10 milhões de fiéis seguidores apenas nos USA. A programação de seus programas via satélite, atingia nações de todos os continentes.
A fé de tanta gente, do país mais rico do mundo, o tornou um miliardário. Jim Bakker, vivia numa mansão tão imensa, que conhecidos milionários tinham inveja dela. Entre as excentricidades, havia a casa de cachorro, que tinha ar-condicionado. Sim: Casa de cachorro com ar-condicionado!
De fato, a capacidade de convencer as pessoas, deste Pastor era imensa. Sua simples presença, num altar, fazia com que centenas de seus fiéis, começassem a "falar em línguas". Começassem a sentir a "presença do espírito santo". Milhares de milagres eram a ele atribuídos.
De fato, o Pastor Jim Bakker, oferecia o que seus fiéis buscavam. Sempre de bíblia na mão, dizia-se sempre "inspirado por Deus". Seus sermões sempre pregavam contra o pecado, principalmente a homossexualidade, o sexo fora do casamento, exigiam uma vida regrada e modesta. Falavam sempre do valor da honestidade e do trabalho. Garantia que os praticantes de sodomia ou de adultério "tinham lugar garantido no inferno". Nada muito diferente dos sermões religiosos, exceto no imenso volume arrecadado.
Nos bastidores, o "pai da moralidade", se transformava. Tão logo terminava o seu programa televisivo, cheio de pregações de moral e cristianismo, este Pastor se entregava ao sexo. Ele mantinha um harém de prostitutas e de gays altamente bem pagos. Entre suas preferências sexuais estava claro, a sodomia. Nada em assunto de sexo, lhe dava mais prazer, nem era por ele mais praticada. Seu casamento com Tammy, era apenas uma fachada, que ambos mantinham, para enganar os fiéis e arrecadar fortunas em dinheiro.
A imensa generosidade/imbecilidade dos fiéis, já nos anos setenta, os tinha feito milionários. O Pastor Jim Bakker, sonhava com mais e conseguiu. Ele arrecadou algumas dezenas de milhões de dólares e construiu um imenso parque temático, de nome "Heritage USA". Uma verdadeira "Disneylândia cristã” (Ver livro "A Revanche de Deus", de Gilles Kepel, páginas 125-133).
Era um parque de dimensões imensas. Uma piscina imensa era destinada apenas a se fazerem batizados. Havia um edifício imenso, com uma imitação do inferno. Outro maior ainda, mostravam o paraíso. Construções imensas, mostravam inúmeros temas bíblicos. Tudo isto atraía milhões de visitantes por ano.
A imensa piscina de batismo no "espírito santo", levava milhares de crentes a terem delírios divinos, a "falarem em línguas", a desmaiarem ao "sentir a presença de Deus". Se Deus/Jesus/Espírito Santo estavam fazendo tais coisas, é uma questão de fé. Não é uma questão de fé, o fato desta "Disneylândia cristã", ser o lugar preferido para o Pastor Bakker ter suas surubas e bacanais sexuais, num lugar escondido em meio a esta "Disneylândia cristã". Heritage USA, era também um motel gay, embora seus milhões de visitantes anuais ignorassem isto.
Já nos anos setenta, um jornal americano, o "The Charlotte Observer", já começava a denunciar o casal de evangélicos. Infelizmente, tudo o conseguido com tais denúncias, foi à revolta dos milhões de seguidores dos Bakker. Outras denúncias bem mais curtas, em outros órgãos de imprensa, igualmente deram em nada (Livro "A Revanche de Deus”. Autor: Gilles Kepel, páginas 125-130).
Curiosamente, quem o desmascarou para sempre, foi outro Pastor, chamado Jimmy Swaggart, que será descrito logo a seguir. Swaggart, ficou cheio de inveja, pela imensa fortuna do chará e colega. Ao mesmo tempo já tinha informações sobre Bakker. Swaggart, contratou um detetive particular. Este voltou com um monte de fotos comprometedoras, de posse delas e de gravações, Swaggart fez chegar tudo à imprensa. Ao mesmo tempo, vários repórteres já dispunham de toda a sorte de coisas terríveis contra ele. Para completar, uma das ex-amantes do Pastor Jim Bakker, posou nua numa revista masculina.
A "Heritage USA", foi à falência. Seguiu o caminho da "Zion City" do Pastor Dowie, quase cem anos antes. Dezenas de milhões de dólares de fiéis, sumiram. O Pastor Jim Bakker, foi a julgamento por falência fraudulenta. Condenaram-no a 45 anos de cadeia. Uma instância superior, diminuiu a pena e ele já está solto. Ouvi dizerem, que segue pregando, mas com um número diminuto de fiéis. Quanto à casa de cachorro com ar-condicionado, foi vendida em leilão, para pagar as dívidas milionárias da "Heritage USA" e outros negócios fraudulentos de Jim Bakker. A então esposa de Jim, Tammy Bakker, encerrou a farsa a que chamava de casamento.
Pastor Jimmy Swaggart:

O Pastor Jimmy Swaggart, era outro dos grandes "televangelistas", ao lado de seu chará Jimmy Bakker. Tinha um programa de televisão, exibido em todos os continentes. Passava aqui no Brasil, tendo milhões de telespectadores.
Tal e qual seu chará, ele era um Pastor pentecostal. Em seu programa com dezenas de milhões de telespectadores no mundo todo, bradava contra a imoralidade. Sempre próximo de uma bíblia, exigia milhões de dólares de contribuição. Dizia-se mensageiro de Deus. Garantia que os adúlteros iam ao inferno. Nada muito diferente de Jim Bakker.
Nas várias vezes que veio ao Brasil, Swaggart atraiu sempre imensas multidões. Pessoas desmaiavam. Milhares "falavam em línguas", apenas ao saber que ele estava próximo. Milhares de "milagres”, eram a ele atribuídos aqui no Brasil.
Diante de tal fachada, havia um patife imoral e falso. No mesmo dia que pregava sermões contra a imoralidade, pagava os serviços de prostitutas. Gostava muito de sexo. E claro, o dinheiro dos fiéis, lhe dava um padrão de vida de milionário.

Como escrito antes, ele aproveitou-se da queda do chará e colega Jimmy Bakker. O último, resolveu a dar o troco. Bakker contratou outro Detetive particular. Este desmascarou totalmente Jimmy Swaggart, como uma xerox de Bakker.
Desmascarado, o Pastor Swaggart chorou publicamente em seu programa. Tais lágrimas, não impediram a queda vertiginosa das doações de seus fiéis. Segundo informação de um americano, Jimmy Swaggart segue Pastor, embora com pequena comunidade de seguidores.
Conclusão final:

Para se escrever sobre as patifarias e abusos dos pastores pentecostais, precisaria de escrever uma enciclopédia, com muitos anos de pesquisa. Ele não visa tampouco apreciar ou omitir os abusos dos pastores pentecostais brasileiros, que de já de longo vem sendo desmascarados. Apenas falei de alguns pastores americanos.

A minha intenção, desde o título, foi e é mostrar as informações em geral, curtas, sobre alguns líderes pentecostais americanos. Nada longo demais. Daí que Este artigo tem que ser pequeno.

Embora pequeno, aos que lerem, é mostrado, documentadamente, que estes "pastores", "irmã", "Elias, o Profeta", etc; nada curaram, a não ser a própria gana por dinheiro alheio. Nada aliviaram a não ser o masoquismo (desejo de sofrer), de seus infelizes seguidores. Suas vidas e suas mortes, mostraram a todos os possuidores de alguma inteligência, que eles nada mais eram que infames charlatães.

"Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros..." FILIPENSES 3:2a

Diante dessas informações não confie nesses enganadores do evangelho, saiam desses templos faraônicos e busque um lugar onde prega o genuíno evangelho. Saiam desses “currais” que pregam a usura e a avareza. Que buscam o materialismo  te  afastando  do Criador. Leia as Escrituras e tenha nela a convicção do ensino para afastar os lobos vorazes, que servem ao deus Mamon em seus ritos. 

“Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." APOCALIPSE 18: 4 

Como podemos observar em John Parhan, um membro da Ku Klux Klan, tais pastores eram associados a uma organização secreta filiando-os por inclusão na Ordem ou por linhagem sanguínea. A Maçonaria no decorrer dos séculos infiltrou seus agentes estudados em teologia nas denominações evangélicas, na função de falsos pastores, missionários...  para assim dominá-la.

FONTE: Solascriptura

Um comentário :

Bem-vindo ao OS REMIDOS NO SENHOR: Um blog para quem não é manipulado!

Os artigos são livre expressão do seus autores, muitos só postamos a título de informação para conhecimento e não refletem necessariamente as posições adotadas pelo OS REMIDOS NO SENHOR. Nosso propósito, no entanto, é contribuir e incentivar a livre reflexão do nosso público alvo: pastores, líderes, e cristãos em geral que exercem seu papel no Reino de Deus.

Comente, questione, critique, aconselhe, tire dúvidas.

Esclarecemos que, como um site evangélico, não somos neutros em relação às questões aqui levantadas. Portanto, reservamo-nos o direito de bloquear ou excluir comentários segundo critérios próprios. Não sou e nem desejo ser mestre de ninguém, não procuro discípulos, nem admiradores, nem seguidores. Procuro apenas leitores sinceros e amadurecidos para questionar, de maneira sóbria e crítica, as crenças e os paradigmas hegemônicos e misteriosos das escrituras sagradas.

Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

Mas difamações, ataques pessoais, trollagens, xingamentos, atitudes de intolerância, assim como comentários à serviço de militâncias políticas e religiosas não serão aceitos!

Se você não é um desses, esqueça este meu comentário porque a mensagem não é para você,



Whos

Você Pode Gostar Também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.w0HvNCS1.dpuf