sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Dízimo - Uma prática da Lei sem efeito na Graça!



Por Ronaldo Alves


Este é um assunto, que causa espanto nos crentes que não conhecem a verdade bíblica e simplesmente acreditam em tudo que seus "líderes", empurram ouvido a dentro sem questionar, como faziam os bereianos que tudo pesquisavam.

"Ora estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam à palavra com toda a avidez, indagando diariamente nas Escrituras se estas coisas eram assim." Atos 17: 11

O Novo Testamento é a nossa regra de fé e prática no evangelho. Em parte alguma do evangelho da Graça, menciona que a igreja deva ter o costume de dizimar, como os judeus.

Em Mateus, Jesus repreende os fariseus por dizimar, porém, omitia-se as coisas mais excelente. O Mestre os advertia a praticar tanto uma como a outra.

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas." Mateus 23: 23 

Como podemos notar neste versículo, era prática dos judeus dizimarem, porque estava instituído na Lei tal prática. Jesus exerceu seu ministério no jugo da lei, com todas as oposições ao evangelho salvador. Aqui não há nenhum mandamento à sua igreja concernente ao dizimar, e sim uma repreensão pelo fato dos fariseus ser um seguimento hipócrita.

Já no Gólgota, antes de expirar exclama: "Está  consumado!" O véu do Templo se rasga de alto a baixo e hoje somos livre da maldição da Lei. Fomos resgatado pela Graça Salvadora.

"Mas, quando veio o cumprimento do tempo, enviou Deus a seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei, a fim de resgatar os que estavam debaixo da Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos." Gálatas 4: 4, 5

Melquisedeque, rei de Salém, um tipo de Cristo, recebeu dízimo de Abraão, após vitória sobre 4 reinos.  

O dízimo a partir de Moisés, foi inserido na Lei. Era obrigação de Israel de ano em ano recolher os dízimos e oferecer ao Senhor.

"Todos os dízimos da terra, ou sejam da semente da terra, ou sejam das frutas das árvores, pertencem a Jeová: santos são a Jeová." Levítico 27: 30

Depois da separação da tribo de Levi para assistir no santuário, este passaram a ter direito sobre esta arrecadação.

"Aos filhos de Levi dei todos os dízimos em Israel por herança, em compensação do serviço que prestam, isto é, do serviço da tenda da revelação." Números 18: 21

Os levitas não trabalhavam como às outras tribos, era exclusivamente dedicado aos trabalhos do Tabernáculo, sendo assim, precisavam se manter e era com os grãos, com o fruto da terra que eles mantinham sua sobre vida.

Os levitas de hoje são meros tocadoresde igreja, sem nenhum compromisso de dedicação, unicamente à obra de Deus. Que adulteração da palavra!

Os dízimos não eram relacionado ao dinheiro e sim a mantimentos para se manterem.

Muitos sustentam a tese que naquele tempo não havia dinheiro, por isso era recolhido alimento. Sabemos que esta versão não procede, pois, há várias referencias no Velho Testamento referente ao dinheiro como esta:

"Se o caminho te for comprido demais, de sorte que não possas levar o dízimo, por ser demasiado longe de ti o lugar que Jeová teu Deus escolher para ali pôr o seu nome, quando Jeová teu Deus te abençoar; convertê-lo-ás em dinheiro, atarás o dinheiro na tua mão, e irás ao lugar que Jeová teu Deus escolher. Darás esse dinheiro por tudo o que desejar a tua alma, por bois ou por ovelhas, ou por vinho, ou por bebidas fortes, ou por tudo o que te pedir a tua alma; ali comerás diante de Jeová teu Deus, e te regozijarás, tu e tua casa." Deuteronômio 14: 24-26

Já existia o dinheiro no tempo de Moisés e não era usado como referencia para o dízimo. Se o caminho fosse longo até o lugar onde depositaria o fruto da terra, deveria vender aquela colheita que seria ofertada, e com o dinheiro, após chegar ao destino comprar tudo que seu valor pudesse, e comesse com sua família na presença do Senhor, com alegria.

Não se come dinheiro e sim alimento!

Ao fim de três anos, a parte da colheita referente ao dízimo seria dividida entre os levitas, o peregrino, o órfão  e a viúva. Ao fim dos três anos o dízimo seria dividido, compartilhado com outras pessoas. Hoje não é para esta finalidade que eles usam tal arrecadação. Praticam alguns deles para seu proveito próprio tendo eles atividades profissional paralelo ao ministério de pastor.   

No fim de cada três anos tirarás todos os dízimos da colheita do terceiro ano, e o depositarás dentro das tuas portas. O levita (por não ter ele porção nem herança contigo), o peregrino, o órfão e a viúva, que estão das tuas portas para dentro, virão, comerão e se fartarão, para que Jeová teu Deus te abençoe em todas as obras que as tuas mãos fizerem." Deuteronômio 14: 28, 29

Após passar a época do Templo, e do sacerdócio que são sombras passada da Lei, entramos na dispensação da Graça, que nos deu acesso a Deus, tornando-nos igreja de Cristo, com a pregação do evangelho aos que cressem, para que vivessem em novidade de vida.

Os  pioneiros da igreja ensinaram à doutrina de Cristo, e nela estava inserido a questão da contribuição. Todos deveriam contribuir com coração voluntário sem obrigação. Pois, Deus se alegrava com tal atitude.

"Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria." II Coríntios 9: 7

Creio eu, Deus sabedor de todas as coisas em sua presciência, não deixou nenhum mandamento a respeito do dízimo para a igreja, pois sabia dos acontecimentos dos últimos dias, onde homens gananciosos usariam a sua igreja para seus próprios deleites, assim como haviam feito os sacerdotes no passado. Assim como o Templo de Salomão fora destruído por duas vezes, pois havia sido profanado pelos reis, sacerdotes e comerciantes, não há mandamento para a construção dos mesmos pela igreja, o dízimo também foi abolido na dispensação da Graça. (Templo não é igreja, a igreja somos nós)

Os gananciosos descobriram uma forma de aterrorizar o povo a dizimar em seus "saquitéis". Através do terrorismo psicológico. Usam Malaquias e Joel como fórmulas para dos seus enganos.  "Se você não der o dízimo, o devorador vai destruir tuas finanças"!



Como já falamos aqui, era lei em Israel dizimar, mas na época do profeta Joel, o povo parou de separar a colheita devida para o Senhor. Sendo assim, Deus mandou uma praga de gafanhotos que destruiu toda a lavoura. Israel passara por privação, mas Deus apontava com um socorro divino, bastando para isso voltar a cumprir a determinação da lei, concernente ao dízimo.


"Restituir-vos-ei os anos que tem comido o gafanhoto, o brugo, o hasil, e a lagarta, o meu grande exército que enviei entre vós." Joel 2: 25

Mas um trecho usado pelos gananciosos:


Acaso roubará o homem a Deus? contudo vós me roubais. Mas vós dizeis: Em que te havemos roubado? Em dízimos e ofertas.

Esta repreensão de Deus era direcionada a toda à nação, que simplesmente cessara a entrega da colheita aos levitas. 

"Trazei o dízimo todo à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz Jeová dos exércitos, se não vos abrir eu as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção até que não haja mais lugar para a recolherdes. Por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide perderá no campo o seu fruto antes do tempo, diz Jeová dos exércitos." Malaquias 3: 8, 10, 11

A Casa do Tesouro era um depósito onde guardava-se, o dízimo, fruto da terra colhido de ano em ano, e não mês a mês, no Templo de Salomão. Note que no versículo 11 o devorador destruía a lavoura e não o dinheiro, por causa do não cumprimento da lei por Israel. O fruto da terra! Nada de dinheiro.


Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos. Malaquias 4: 4

No versículo à cima à Lei de Moisés fora estabelecida para os judeus, por isso, todas as ordenanças da Lei deveriam ser cumpridas, inclusive o dízimo.

Portanto, na dispensação da Graça você não pode ser justificado pelas práticas da Lei de Moisés, o que vai justificá-lo é viver uma vida em Cristo. 

E de tudo aquilo de que não pudestes ser justificados pela Lei de Moisés, por este é justificado todo o que crê. Atos 13: 39

Pois, mudado que seja o sacerdócio, é necessário que se faça também mudança da Lei. Hebreus 7: 12  

E que sacerdócio é este que foi mudado?

Com efeito os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio, têm mandamento de receber, segundo a Lei, dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, embora estes tenham saído dos lombos de Abraão; Hebreus 7: 5

Aos levitas estava estabelecida esta ordenança. Os pastores hoje que sustentam a tese do dizimar pelos fiés, tem eles sua linhagem contada aos levitas? 

Sendo nós cristãos, somos seguidores de Jesus Cristo, que não era levita e sim da tribo de Judá. Se somos cristãos porque a prática de ordenanças dada aos Hebreus.

Pois é evidente que da linhagem de Judá nasceu nosso Senhor, da qual tribo Moisés nada disse acerca de sacerdotes. Hebreus 7: 14

Em Hebreus 7, o que podemos entender a prática de Abraão dando o dízimo, fora da Lei Mosaica, a Melquisedeque uma figura de Cristo? Seria a entrega do nosso louvor como oferta suave, na forma de adoração.   

Mas, aquele cuja genealogia não é contada destes recebeu dízimo de Abraão e abençoou ao que tem as promessas. Aqui, na verdade, recebem dízimos homens que morrem (Lei), mas ali os recebe aquele de quem é testificado que vive. Hebreus 7: 6 e 8

Seria uma prática louvável se o povo judeu, na dispensação da Lei, mantivesse o mesmo sentimento de seu pai Abraão, mas não foi assim que aconteceu.


Por isso esta prática tornou-se nula, assim como toda à Lei perdera sua legitimidade no calvário.


Pois eu, mediante a lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Não faço nula a graça de Deus; pois se a justiça vem mediante a lei, então morreu Cristo sem necessidade. Gálatas 2: 19, 20


Contribua, oferte em sua igreja sem avareza, fazendo assim, o Senhor agradar-se-á de ti. Mas, não aceite tal líder afirmar que o diabo lançará mão das tuas finanças. Seja um ofertante com coração adorador, generoso na obra do Senhor. Esta mentira não terá efeito em sua vida.


Leia a bíblia!
 Peça orientação ao Senhor a respeito daquilo que você não tem entendimento, pois sem conhecimento da verdade você não pratica a sã doutrina, sendo enganado por toda doutrina falsa.


Sola gratia!

A Graça e a Paz do Senhor Jesus!

Um comentário :

  1. Excelente postagem.

    Eu sou um que recentemente passei a fazer parte da lista dos que discordam desse doutrina herética ensinada nos púlpitos da maioria das igrejas.

    Fui, o que eles chamam de "dizimista fiel" por 25 anos, mas depois que comecei a contestar a aplicação do que mentem ser dízimos, fui afastado de todas as funções que exercia como obreiro e até proibido de entrar nos templos (fui expulso das sinagogas).

    Escrevi alguns artigos sobre isso:

    Dízimo o que era e o que não é:
    http://crentefeliz.blogspot.com.br/2012/10/dizimo-o-que-era-e-o-que-nao-e.html

    Dízimo - Bênçãos que nunca se cumprem na vida do dizimista fiel:
    http://crentefeliz.blogspot.com.br/2013/02/dizimo-promessas-que-nunca-se-cumprem.html

    Existem Levitas na Igreja?
    http://crentefeliz.blogspot.com.br/2012/12/existem-levitas-na-igreja.html

    Eu não sou ladrão (Em resposta as acusações que muitos impõe sobre mim, porque deixei de pagar o imposto de 10% apelidado de dízimo)
    http://crentefeliz.blogspot.com.br/2013/04/eu-nao-sou-ladrao.html

    Continuemos a batalhar pela fé que uma vez nos foi dada (Jd 3)e vamos ajudar muitos a se libertarem desse jugo cruel.

    Em Cristo,

    Reginaldo Barbosa

    ResponderExcluir

Bem-vindo ao OS REMIDOS NO SENHOR: Um blog para quem não é manipulado!

Os artigos são livre expressão do seus autores, muitos só postamos a título de informação para conhecimento e não refletem necessariamente as posições adotadas pelo OS REMIDOS NO SENHOR. Nosso propósito, no entanto, é contribuir e incentivar a livre reflexão do nosso público alvo: pastores, líderes, e cristãos em geral que exercem seu papel no Reino de Deus.

Comente, questione, critique, aconselhe, tire dúvidas.

Esclarecemos que, como um site evangélico, não somos neutros em relação às questões aqui levantadas. Portanto, reservamo-nos o direito de bloquear ou excluir comentários segundo critérios próprios. Não sou e nem desejo ser mestre de ninguém, não procuro discípulos, nem admiradores, nem seguidores. Procuro apenas leitores sinceros e amadurecidos para questionar, de maneira sóbria e crítica, as crenças e os paradigmas hegemônicos e misteriosos das escrituras sagradas.

Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

Mas difamações, ataques pessoais, trollagens, xingamentos, atitudes de intolerância, assim como comentários à serviço de militâncias políticas e religiosas não serão aceitos!

Se você não é um desses, esqueça este meu comentário porque a mensagem não é para você,



Whos

Você Pode Gostar Também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.w0HvNCS1.dpuf