domingo, 1 de julho de 2012

A verdade sobre a condenação de Yousef Nadarkhani no Irã



Você conhece este homem. Ele é Yousef Nadarkhani. Mas porque você o conhece – ou deveria conhecê-lo? As notícias que circulam na Internet é que Yousef é pastor e está sendo condenado à morte por ser cristão.
Minha intenção não apenas polemizar ou diminuir ainda a importância do caso. Com certeza a firmeza e a fibra do Pastor Yousef são admiráveis! Duvido que a metade dos cantores-pastores deste país teriam a mesma coragem.

E as reflexões que trarei aqui não pretendem diminuir a coragem do pastor, pelo contrário, pretende criticar a nossa falta de coragem.
Agora veja esta imagem:
É nesta hora que você pergunta: Que diferença faz? E daí a gente pensa junto.
Abandonar o Islã: O Irã é um país – por falta de palavra melhor no momento – confessional. Sua religião oficial é o Islã e assim o país ainda absorve leis religiosas e as aplica com todo o rigor que uma interpretação literalista do Corão pede: a chamada Sharia. Não há, nestas leis, uma condenação exclusiva aos cristãos. Há sim uma lei que proíbe-se o abandono do Islã. Yousef poderia ser espírita kadercista, cadombléssista, budista, taioísta, seicho-no-ie-sista, corinthiano que ele seria condenado à forca da mesma forma.
Rejeitasse Cristo: Aquela série “Deixados para trás” e aquele filme antigo, dos idos dos anos 70 com o tema arrebatamento, tiveram um grande impacto no cristianismo brasileiro. Há uma cena muito forte onde, no tempo da tribulação, uma personagem é questionada se nega ou não a Cristo enquanto sua cabeça está dentro de uma guilhotina – bem retrô e impactante. Prova de que a teologia do martírio ainda é muito forte entre nós. Não duvido que a forma como a notícia foi transmitida pelos cristãos tenha sofrido influência desses filmes. Negar a Cristo? A preocupação é que se negue a religião e volte para o Islã. Não há porque negar a Cristo. Seria como pedir a um cristão que negue João Batista!
Ajudar outras vítimas da Sharia: Não é apenas a “coisa” religiosa que é digna de nota na imprensa internacional e entre cristãos que anseiam pela expansão do reino de Deus. Há o abuso contra as mulheres, contra crianças… Mas tudo isso demandaria “pensar”… Discutir até que ponto a religião pode intervir no cotidiano das pessoas, até que ponto a religião pode manipular as leis de um país, obrigando que os compatriotas sigam forçadamente o comportamento determinado por uma religião. Mas a maioria dos cristãos brasileiros não querem fazer isso porque seria uma grande auto-crítica.
Outros fatos: Depois de todo o frisson causado na internet, alguns grupos cristãos brasileiros retiraram seu apoio ao Pr. Yousef pelo simples fato de ele não ser “trinitariano”. De mártir o pastor passou a ser perseguido como herege. Isso me lembra o caso do “Suicida Cristão”.
Deste caso, eu tiro algumas conclusões:
A primeira é que os cristãos brasileiros não tem envergadura moral para pedir o que estão pedindo. Primeiro porque é um pedido totalmente egoísta e causuísta. Não querem libertar o Pr. Yousef porque é vítima de intolerância religiosa. Querem libertar o Pr. Yousef porque ele é cristão. E não é justo que um cristão morra… Se bem que, talvez alguns até estejam pedindo para que ele morra… Um mártir é sempre bem vindo.
E a Igreja Cristã brasileira também não tem envergadura moral para pedir o que está pedindo pelo simples fato de que aqui também caminha-se para o mesmo rumo. O problema com o Irã não é ele seguir as leis do Islã; o problema com o Irã é não seguir as leis do Cristianismo! E aí está: dois pesos e duas medidas!
Os cristãos ainda preferem se colocar como vítimas para justificar o gueto em que vivem. E uma vez no gueto, querem defender apenas aos seus. Deveriam sim abrir os olhos e espalhar tantas mensagens de protesto por conta das mulheres que são castradas, das crianças que são assassinadas e exploradas, das leis abusivas e que vão contra os direitos humanos.
Mais uma vez digo: O problema  não é com o Pr. Yousef: Um homem corajoso e digno de nota. o problema é conosco que o utilizamos como ícone para acusar o outro, mas não vemos que via de regra incorremos no mesmo erro.
Por um Estado Laico, contra todo tipo de intolerância e que me permita guiar a própria vida no caminho do respeito mútuo.
Fonte: Pavablog

Um comentário :

  1. Tem muito irmãos passando cada aperto neste mundo e aqui toda largueza e não dão valor. Gostei do blog vi na na divulgação dos blogueiros q pensam gostei.

    ResponderExcluir

Bem-vindo ao OS REMIDOS NO SENHOR: Um blog para quem não é manipulado!

Os artigos são livre expressão do seus autores, muitos só postamos a título de informação para conhecimento e não refletem necessariamente as posições adotadas pelo OS REMIDOS NO SENHOR. Nosso propósito, no entanto, é contribuir e incentivar a livre reflexão do nosso público alvo: pastores, líderes, e cristãos em geral que exercem seu papel no Reino de Deus.

Comente, questione, critique, aconselhe, tire dúvidas.

Esclarecemos que, como um site evangélico, não somos neutros em relação às questões aqui levantadas. Portanto, reservamo-nos o direito de bloquear ou excluir comentários segundo critérios próprios. Não sou e nem desejo ser mestre de ninguém, não procuro discípulos, nem admiradores, nem seguidores. Procuro apenas leitores sinceros e amadurecidos para questionar, de maneira sóbria e crítica, as crenças e os paradigmas hegemônicos e misteriosos das escrituras sagradas.

Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

Mas difamações, ataques pessoais, trollagens, xingamentos, atitudes de intolerância, assim como comentários à serviço de militâncias políticas e religiosas não serão aceitos!

Se você não é um desses, esqueça este meu comentário porque a mensagem não é para você,



Whos

Você Pode Gostar Também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

- See more at: http://www.ecleticus.com/2011/10/slide-que-funciona-automatico-no.html#sthash.w0HvNCS1.dpuf